Concurso Dia Europeu das Línguas – 26 de setembro

O Ano Europeu das Línguas (AEL) 2001, organizado conjuntamente pelo Conselho da Europa e pela União Europeia, envolveu com sucesso milhões de pessoas nos 45 países participantes. As atividades desenvolvidas celebraram a diversidade linguística na Europa e promoveram a aprendizagem de línguas.

Na sequência do êxito do AEL-2001, o Conselho da Europa instituiu o Dia Europeu das Línguas, a ser celebrado todos os anos no dia 26 de setembro. Os objetivos gerais do Dia Europeu das Línguas são:

  1. Alertar o público em geral para a importância da aprendizagem das línguas e diversificar a oferta linguística de modo a incrementar o plurilinguismo e a compreensão intercultural;
  2. Promover a riqueza da diversidade linguística e cultural da Europa, que deve ser preservada e valorizada;
  3. Fomentar a aprendizagem de línguas ao longo da vida, dentro e fora da Escola, seja para fins académicos ou profissionais, seja para fins de mobilidade ou por prazer e intercâmbio.

Assim, as Bibliotecas do Agrupamento de Escolas de D. Maria II pretendem assinalar este dia com um concurso.

 

 

Anúncios

Teatro de sombras e de fantoches

Os alunos do 3.º ano da EB de Requião trabalharam os textos “A Carochinha” e “As sombras Chinesas”, de Luísa DaCosta e António Torrado, respetivamente, e apresentaram duas peças de teatro às crianças do Jardim de Infância e às restantes turmas da escola.

O espetáculo, apresentado na última semana de aulas, foi bastante apreciado por miúdos e graúdos. Os nossos alunos estão de parabéns!

Alunos visitam Nau Quinhentista e Museu da Construção Naval

No âmbito do projeto “Ler nos caminhos do mar… e da terra” as turmas do 4.º D da EB de Telhado e do 3.º E da EB Lml Louro realizaram uma visita de estudo à Alfândega Régia/Museu da Construção Naval e à Nau Quinhentista, em Vila do Conde. A visita permitiu aos alunos terem contacto com o modo de vida a bordo de uma Nau da época, saberem aproximadamente o tempo de duração de uma viagem até à Índia, percecionarem as condições de higiene e as ameaças à saúde dos tripulantes. Numa breve passagem pela Alfândega ficou-se a ter uma ideia dos impostos sobre as mercadorias, que tipo de mercadorias passavam por lá e quais as mais apreciadas. A visita de estudo possibilitou o conhecimento vários tipos de embarcações usadas na altura dos descobrimentos, o que as diferenciava e como eram construídas.

Uma iniciativa fantástica para conhecermos melhor os caminhos que outrora tecemos no Mar e nos mantiveram ligados à Terra.