Alunos visitam Nau Quinhentista e Museu da Construção Naval

No âmbito do projeto “Ler nos caminhos do mar… e da terra” as turmas do 4.º D da EB de Telhado e do 3.º E da EB Lml Louro realizaram uma visita de estudo à Alfândega Régia/Museu da Construção Naval e à Nau Quinhentista, em Vila do Conde. A visita permitiu aos alunos terem contacto com o modo de vida a bordo de uma Nau da época, saberem aproximadamente o tempo de duração de uma viagem até à Índia, percecionarem as condições de higiene e as ameaças à saúde dos tripulantes. Numa breve passagem pela Alfândega ficou-se a ter uma ideia dos impostos sobre as mercadorias, que tipo de mercadorias passavam por lá e quais as mais apreciadas. A visita de estudo possibilitou o conhecimento vários tipos de embarcações usadas na altura dos descobrimentos, o que as diferenciava e como eram construídas.

Uma iniciativa fantástica para conhecermos melhor os caminhos que outrora tecemos no Mar e nos mantiveram ligados à Terra.

“As Bruxas de Monte Córdova”

No dia 6 de junho, as turmas de 4.º ano das EB de Vale do Este e de Telhado, tiveram a oportunidade de assistirem ao lançamento do livro “As Bruxas de Monte Córdova”, com alguns textos criados pelos próprios. Este livro foi o resultado de um workshop de escrita criativa com seis turmas de 4.º ano do concelho, que decorreu durante o 2. º período, proposto pelo Centro de Estudos Camilianos e orientado pelo escritor Pedro Chagas Freitas. A iniciativa permitiu aos alunos terem contacto com uma das obras do escritor Camilo Castelo Branco e desenvolverem a escrita a partir de jogos propostos pelo escritor.

No dia do lançamento as turmas puderam assistir à representação, de um dos textos do livro, levada a palco por uma turma de 4.º ano da EB Conde de S. Cosme.
Uma iniciativa fantástica em prol da escrita em português que poderá ser consultada nas nossas bibliotecas.
Para saber mais veja as reportagens na RTP1 e na FamaTV

 

Hora do Conto na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco

A turma 4.ºD da EB de Telhado deslocou-se à Biblioteca Municipal para desenvolver uma das muitas atividades propostas pela Biblioteca Municipal. Foram recebidos na sala de leitura infantil e a Dra. Maria João dinamizou a atividade “Hora do Conto” a partir da obra “Posso juntar-me ao clube?” de John Kelly.

Exposição Luz e Som

Na semana de 29 de maio a 2 de junho, os alunos do 8º ano de escolaridade, do Agrupamento de Escolas D. Maria II, promoveram, no âmbito da disciplina de Físico-Química, nas Bibliotecas Escolares do Agrupamento, uma exposição, com trabalhos realizados pelos mesmos, sobre o som e a luz.

Esta atividade teve como intuito assinalar o Dia Mundial da Energia e, entre outros, a divulgação à Comunidade Escolar de alguns conceitos/conteúdos abordados nas aulas da disciplina de Físico-Química.

Assim, encontram-se expostos diversos materiais/equipamentos como, por exemplo, antigos aparelhos de som; instrumentos musicais; periscópios; caleidoscópios e projetores de imagens.

Os diversos materiais/equipamentos têm sido alvo da curiosidade e interesse de um grande número de alunos do Agrupamento, facto que comprova o empenho e a dedicação que os alunos do 8.º ano de escolaridade colocaram na planificação e execução do Projeto que lhes foi proposto pelos docentes da disciplina de Físico-Química.

PARABÉNS aos alunos do 8.º ano de escolaridade do Agrupamento de Escolas D. Maria II.

Texto de José António Martins

Dia Mundial da Criança na EB Vale do Este

As crianças do Jardim de Infância do Altinho e alunos do 1º Ciclo da Escola Básica de Vale do Este – Arnoso Santa Maria comemoram, em conjunto, o Dia Mundial da Criança, assistindo na Biblioteca da Escola, à representação do Teatro Infantil “O Principezinho” apresentado pela Associação Artística ETCetera Teatro, de Vila Nova de Gaia, proporcionado pela Junta de Freguesia.

Este clássico da literatura infantil, recomendado pelo programa nacional de leitura, foi escrito por Antoine de Saint-Exupéry. Conta a história de um menino que vivia sozinho num asteroide e que passava os seus dias a limpá-lo e a cuidar de uma bonita, mas arrogante, rosa. Ao decidir viajar pelo Universo e com o intuito de explorar o mundo e conhecer os seus habitantes, o Principezinho, que aqui surge como uma marioneta com um 1,5m de altura, cruza-se com outras personagens sendo exemplos a raposa, o rei, o geógrafo, a serpente, o homem de negócios, entre outros que o ajudam a compreender o significado da amizade. Em diálogo com o aviador, o principezinho, ainda que inocentemente, evoca os valores que deveriam ser os essenciais da vida e que o “essencial é invisível aos olhos.

Foi mais uma atividade de articulação entre o Pré-escolar e o 1º Ciclo do Ensino Básico desta escola tendo constituído uma oportunidade para os mais pequenos assistirem a uma peça de teatro e interagirem com atores.

No final da representação, os alunos, tiveram a oportunidade de colocar questões relativas ao teatro e à compreensão da peça a que assistiram, aos valores e mensagem que ela transmite e que podem ser aplicadas na vida das pessoas.

Tiveram ainda a oportunidade de colocar questões relativas ao teatro à vida e trabalho dos atores e de verem e contactarem com os adereços utilizados e com o guarda-roupa, satisfazendo a sua curiosidade.

A representação foi muito do agrado dos alunos que se mantiveram muito atentos e “presos” aos acontecimentos que se desenrolaram diante dos seus olhos.

Artigo de Bráulio Vilaça

Exposição de Especiarias e… não só!!

Nos dias 25 e 26 de maio, a Biblioteca da Escolar de Arnoso, acolheu a Exposição de Especiarias, da responsabilidade das professoras Maria Manuela Ventura, Maria José Peixoto e Susana Ferreira, realizada no âmbito do projeto Ler nos Caminhos do Mar… e da Terra. Destinada a alunos do 5.º ano e aos visitantes da biblioteca, a exposição acabou por ser visitada por todas as turmas da escola. Pequenos e graúdos fizeram questão de, acompanhados pelos professores, visitar, cheirar e provar os diversos produtos expostos. Todo o espaço cheirava a “outros mundos” e todos tiveram a oportunidade de conhecer novos sabores: o côco acabadinho de abrir, a banana pão, o abacate, o gengibre … e claro, o já conhecido mas sempre apreciado chocolate negro!

Foi, sem dúvida, um espaço de aprendizagem que apelou aos sentidos e, por momentos, transformou a biblioteca num mercado de especiarias, numa viagem pelas Américas, a África e o Oriente…

 

Para saber um pouco mais sugerimos a visualização de um documentário da RTP Ensina.