Alunos visitam Nau Quinhentista e Museu da Construção Naval

No âmbito do projeto “Ler nos caminhos do mar… e da terra” as turmas do 4.º D da EB de Telhado e do 3.º E da EB Lml Louro realizaram uma visita de estudo à Alfândega Régia/Museu da Construção Naval e à Nau Quinhentista, em Vila do Conde. A visita permitiu aos alunos terem contacto com o modo de vida a bordo de uma Nau da época, saberem aproximadamente o tempo de duração de uma viagem até à Índia, percecionarem as condições de higiene e as ameaças à saúde dos tripulantes. Numa breve passagem pela Alfândega ficou-se a ter uma ideia dos impostos sobre as mercadorias, que tipo de mercadorias passavam por lá e quais as mais apreciadas. A visita de estudo possibilitou o conhecimento vários tipos de embarcações usadas na altura dos descobrimentos, o que as diferenciava e como eram construídas.

Uma iniciativa fantástica para conhecermos melhor os caminhos que outrora tecemos no Mar e nos mantiveram ligados à Terra.

25 de maio – Uma aventura única e fantástica!😉👍

SINOPSE

Esta é a história de uma viagem de 4200km que Ricardo Frade se propôs fazer, que demonstra, cabalmente, que os problemas da vida são ‘só’ uma questão de perspetiva.

Imagine-se na Suécia, no norte da península da Escandinávia, em pleno Inverno. Não conhece o país e não sabe uma palavra de sueco. Complemente o cenário com o facto de não ter na sua posse qualquer dispositivo eletrónico, dinheiro ou cartões de crédito/débito, e, para cúmulo, não tem onde dormir, nem sequer o que comer. O que faria para se desenvencilhar desta situação? Como fazer, no dia-a-dia, para dar a volta às situações mais difíceis que a vida lhe apresenta?

Ricardo Frade fez tudo isto, e voltou para Portugal são e salvo…em apenas 13 dias!

Exposição de telas

No segundo período, os alunos do 8.º ano do Agrupamento de Escolas D. Maria II, na disciplina de Educação Visual, concretizaram uma atividade com grande satisfação: pintaram uma tela com tinta acrílica.

Partindo do estudo de movimentos artísticos do séc. XX, da arte contemporânea e da análise de obras de arte de alguns pintores, os discentes aplicaram a técnica de pintura sobre tela, na reinterpretação de uma obra de arte, utilizando a tinta acrílica na aplicação da cor.

Os trabalhos foram expostos na biblioteca da EB de Vale do Este na última quinzena do mês de maio.

09 de Maio: Dia da Europa

Todos os anos, no Dia da Europa, comemorado a 9 de maio, festeja-se a paz e a unidade do continente europeu. Esta data assinala o aniversário da histórica «Declaração Schuman». Num discurso proferido em Paris, em 1950, Robert Schuman, o então Ministro dos Negócios Estrangeiros francês, expôs a sua visão de uma nova forma de cooperação política na Europa, que tornaria impensável a eclosão de uma guerra entre países europeus.
A sua visão passava pela criação de uma instituição europeia encarregada de gerir em comum a produção do carvão e do aço. Menos de um ano mais tarde, era assinado um tratado que criava uma entidade com essas funções. Considera-se que a União Europeia atual teve início com a proposta de Schuman.

As instituições da UE comemoram o Dia da Europa

Para comemorar o Dia da Europa, as instituições europeias abrem as portas ao público em maio, em Bruxelas, Luxemburgo e Estrasburgo. As representações da UE na Europa e as delegações da UE no resto do mundo organizam diversas atividades e eventos para todas as idades.

 

A Declaração Schuman 
A Declaração Schuman foi proferida pelo ministro francês dos Negócios Estrangeiros, Robert Schuman, a 9 de maio de 1950. Nela se propunha a criação da Comunidade Europeia do Carvão e do Aço (CECA) com vista a instituir um mercado comum do carvão e do aço entre os países fundadores. 

A CECA (membros fundadores: França, República Federal da Alemanha, Itália, Países Baixos, Bélgica e Luxemburgo) foi a primeira de uma série de instituições europeias supranacionais que deram origem à atual União Europeia.

Contexto histórico

Em 1950, cinco anos depois do fim da Segunda Guerra Mundial, as nações europeias continuavam a braços com a devastação causada pelo conflito.

Os governos europeus, determinados a evitar que se repetisse uma guerra tão terrível, chegaram à conclusão de que a colocação em comum da produção de carvão e de aço iria tornar a guerra entre a França e Alemanha, países historicamente rivais, «não só impensável mas materialmente impossível» (Declaração Schuman).

Pensou-se, e com razão, que a fusão dos interesses económicos contribuiria para melhorar o nível de vida e constituiria o primeiro passo para uma Europa mais unida. A adesão à CECA foi, assim, aberta a outros países.

Citações

«A paz mundial não poderá ser salvaguardada sem esforços criativos que estejam à altura dos perigos que a ameaçam.»

«A Europa não se fará de uma só vez, nem de acordo com um plano único. Far-se-á através de realizações concretas que criarão, antes de mais, uma solidariedade de facto.»

«A colocação em comum da produção de carvão e de aço (…) mudará o destino das regiões durante muito tempo condenadas ao fabrico de armas de guerra, das quais foram as principais vítimas.»                  

Fontes: União Europeia 

Pai!❤

Pablo Neruda,

O Pai
Terra de semente inculta e bravia, 

terra onde não há esteiros ou caminhos, 

sob o sol minha vida se alonga e estremece. 

.

Pai, nada podem teus olhos doces, 

como nada puderam as estrelas 

que me abrasam os olhos e as faces. 

.

Escureceu-me a vista o mal de amor 

e na doce fonte do meu sonho 

outra fonte tremida se reflecte. 

.

Depois… Pergunta a Deus porque me deram 

o que me deram e porque depois 

conheci a solidão do céu e da terra. 

.

Olha, minha juventude foi um puro 

botão que ficou por rebentar e perde 

a sua doçura de seiva e de sangue. 

.

O sol que cai e cai eternamente 

cansou-se de a beijar… E o outono. 

Pai, nada podem teus olhos doces. 
Escutarei de noite as tuas palavras: 

… menino, meu menino… 
E na noite imensa 

com as feridas de ambos seguirei. 

in “Crepusculário”

Um ABRAÇO a todos os PAIS!

/https://www.facebook.com/RadioComercial/videos/10155253326784617/