Aceitas um encontro às cegas com um livro?

“Uma biblioteca deve, por isso, oferecer coisas a propósito e coisas a despropósito. Por isso, a Biblioteca é também um lugar de encontro. Nas bibliotecas que visitei vi que esses edifícios, um pouco por toda a parte, eram locais perfeitos para encontros longe do ruído do mundo”

Francisco José Viegas in: “A casa dos livros”

Este suposto “blind date” com um livro é muito simples. O leitor nunca tem acesso ao nome do autor, nem ao título, design da capa ou mesmo à sinopse, apenas tem conhecimento de algumas palavras, através de um papel, que poderão dar algumas pistas sobre o livro aos mais atentos. Para além disto, cada livro tem um bilhete pendurado que diz “blind date with a book”. A ideia original passa por dar menos trabalho aos indecisos e suscitar o interesse dos mais aventureiros.

http://p3.publico.pt/cultura/livros/19500/aceitas-um-encontro-cegas-com-um-livro

 

Anúncios

Para que NUNCA nos esqueçamos!

“It would be a dangerous error to think of the Holocaust as simply the result of the insanity of a group of criminal Nazis. On the contrary, the Holocaust was the culmination of millennia of hatred, scapegoating and discrimination targeting the Jews, what we now call anti-Semitism”.

UN Secretary-General António Guterres

Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

O Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto celebra-se anualmente a 27 janeiro.

Este é um dia de lembrança em nome dos milhões de vítimas provocadas pelo genocídio da Alemanha nazi sobre os judeus, ciganos, homossexuais, entre outros, ocorrido durante a II Guerra Mundial. Nele decorrem cerimónias de homenagem a pessoas falecidas no Holocausto e o Secretário Geral da ONU transmite uma mensagem especial, entre outras iniciativas.

A data de 27 de janeiro foi escolhida para a celebração deste dia por possuir um significado especial: foi a 27 de janeiro de 1945 que teve lugar a libertação do principal campo de concentração nazi (Auschwitz) pelas tropas da União Soviética.

O dia mundial da memória do Holocausto foi criado por ação da Assembleia Geral das Nações Unidas, pela Resolução 60/7, de 1 de dezembro de 2005.

 


 Livros 

  • Diário de Anne Frank – Anne FRANK
  • O Rapaz do pijama às riscas John BOYNE
  • A ilha na rua dos pássaros Uri ORLEV
  • O diário de Rutka – Rutka LASKIER
  • A Rapariga que Roubava Livros – Markus ZUSAK
  • O mundo em que vivi – Ilse LOSA
  • Se Isto é um Homem – Primo LEVI
  • Corre, rapaz, corre Uri ORLEV
  • Lídia, a rainha da palestina – Uri ORLEV
  • Clara a menina que sobreviveu ao Holocausto – Clara KRAMER
  • Noite – Ellie WIESEL
  • Sou o último judeu – Chil RAJCHMAN
  • O Consul Honorário –Sónia Louro
  • O leitor – Bernard Schlink

Filmes

  • O pianista
  • O leitor
  • O rapaz do pijama às riscas
  • O diário de Anne Franck
  • A vida é bela
  • A lista de Schindler

          


Para mais informações:

Mensagem do Secretário-Geral da ONU (Video): http://vimeo.com/85053314

Sobre o Dia Internacional: http://www.un.org/en/holocaustremembrance/

Sobre o Genocídio:http://unric.org/html/english/library/backgrounders/genocide_eng.pdf

Sobre Racismo:http://unric.org/html/english/library/backgrounders/racism_eng.pdf

Sobre o Programa do Holocausto e Divulgação: http://www.un.org/en/holocaustremembrance/bg.shtml

Visita de Ban Ki-moon a Auschwitz:http://unric.org/en/latest-un-buzz/28854-haunting-silence-at-former-nazi-death-camp

Hora do conto: “Trinta por uma linha”

No dia 24 de Janeiro foi apresentado o conto “O cão e o gato”, da obra “Trinta por uma linha”, de António Torrado, à turma D, do 3º ano, da EB de Vale do Este, no âmbito da Educação Literária.

Os referidos alunos depois de descobrirem a biografia deste autor e de discutirem aspectos da estrutura do livro, ouviram atentamente a leitura da história e realizaram atividades relacionadas.

Este momento é, realmente, crucial e enriquecedor, levando os alunos a desenvolver a sua prática e gosto pela leitura e escrita.

Hora do conto: ”Bichos, bichinhos e bicharocos”

No dia 18 de Janeiro, no âmbito da Educação Literária, a turma C, do 2º ano, da EB de Vale do Este, trabalhou a obra ”Bichos, bichinhos e bicharocos” do escritor Sidónio Muralha. Estes alunos demonstraram muito interesse e concentração durante a recitação dos poemas, envolvendo-se neles, tendo aumentado ainda mais o seu gosto por se tratarem de poesias sobre animais. Este espaço foi, francamente, enriquecedor e produtivo, uma vez que contribui, de uma forma divertida, para o desenvolvimento da literacia destes alunos.

Hora do conto: “Corre, corre cabacinha”

No âmbito da Educação Literária, no dia 10 de Janeiro, as turmas do 1.º ano A e B da EB de Vale do Este, envolveram-se no conto tradicional “Corre, corre cabacinha” de Alice Vieira. A velhinha “saiu” do livro e contou-lhes duma forma divertida a história da referida obra.

Foi, sem dúvida, um momento de prazer e de promoção do gosto pelo  desenvolvimento da leitura/escrita.Sem TítuloDSCN0011

Plasticologia Marinha nas Bibliotecas D. Maria II!

O Oceanário de Lisboa pretende contribuir para elevar a literacia dos oceanos, em Portugal, promovendo o conhecimento dos oceanos e a vontade de contribuir para a sua conservação, tendo como base os valores da sustentabilidade e da necessidade de proteger a biodiversidade marinha. Desta forma, o Oceanário de Lisboa esteve representado no agrupamento de escola D. Maria II pela formadora Daniela Teixeira com a ação Plasticologia Marinha.

Apesar do plástico ter uma variedade enorme de utilizações, de ser um material útil, duradouro e versátil e que contribui em muitos domínios para o bem-estar humano, é urgente alertar que o seu uso de forma descontrolada tem impacto negativo no planeta e no Homem.

Esta ação envolveu os professores de uma forma ativa na formação de jovens conscientes e responsáveis, tornando-os agentes de mudança. Constituiu também uma mais-valia para os alunos, enquadrando o tema e sensibilizando para a necessidade urgente de redesenharmos a nossa relação com o plástico, agindo de forma a garantir um futuro sustentável e em equilíbrio com a natureza, através da alteração de comportamentos.

Daniela Teixeira

Outra voz…;)

“Aos oceanos chegam todos os anos cerca de 8 milhões de toneladas de plástico, com um impacto enorme nas espécies e ecossistemas marinhos.”

Todos sabemos que o plástico tem uma variedade enorme de utilizações, para além de ser um material útil, duradouro e versátil e que contribui em muitos domínios para o bem-estar humano. No entanto, é urgente alertar que o seu uso de forma descontrolada tem impacto negativo no planeta e no Homem. Por isso, é importante sensibilizar o público sobre a problemática do plástico nos oceanos e fornecer-lhes ferramentas para conseguirem minimizar o seu impacto a este nível, através da alteração de comportamentos.

O Oceanário de Lisboa pretende contribuir para elevar a literacia dos oceanos, em Portugal, promovendo o conhecimento dos oceanos e a vontade de contribuir para a sua conservação, tendo como base os valores da sustentabilidade e da necessidade de proteger a biodiversidade marinha.

Assim, o Oceanário de Lisboa desenvolveu sessões de educação ambiental nas escolas, dirigidas a jovens do 1º e 2º ciclos do Ensino Básico. Os formadores Daniela e Justin estiveram já nas escolas de Vale do Este, Requião, Nine e Louro, seguindo-se a escola sede D. Maria II.

Os alunos visualizam e ouvem a teoria, com exemplos, que está na base da poluição dos oceanos. Depois, reúnem em grupo e identificam uma série de poluentes, entre outras atividades interativas magníficas. Pretende-se assim, modificar comportamentos, de modo a que sejam benéficos ao ambiente!

As apresentações foram, de facto, uma mais-valia para o conhecimento e discernimento na identificação de tudo aquilo que prejudica os nossos oceanos. Embora tenha havido algumas surpresas, os nossos alunos foram muito assertivos nas respostas e na participação em geral. Estamos confiantes de estarmos perante uma geração pró-ativa no que ao ambiente diz respeito!

(Artigo em construção)