Algumas coisas são explicadas pela ciência, outras pela fé. A Páscoa ou Pessach é mais do que uma data, é mais do que ciência, é mais que fé, Páscoa é amor.

Albert Einstein

Anúncios

Doces e alegres leituras!



NATAL

Acontecia. No vento. Na chuva. Acontecia.
Era gente a correr pela música acima.
Uma onda uma festa. Palavras a saltar.

Eram carpas ou mãos. Um soluço uma rima.
Guitarras guitarras. Ou talvez mar.
E acontecia. No vento. Na chuva. Acontecia.

Na tua boca. No teu rosto. No teu corpo acontecia.
No teu ritmo nos teus ritos.
No teu sono nos teus gestos. (Liturgia liturgia).
Nos teus gritos. Nos teus olhos quase aflitos.
E nos silêncios infinitos. Na tua noite e no teu dia.
No teu sol acontecia.

Era um sopro. Era um salmo. (Nostalgia nostalgia).
Todo o tempo num só tempo: andamento
de poesia. Era um susto. Ou sobressalto. E acontecia.
Na cidade lavada pela chuva. Em cada curva
acontecia. E em cada acaso. Como um pouco de água turva
na cidade agitada pelo vento.

Natal Natal (diziam). E acontecia.
Como se fosse na palavra a rosa brava
acontecia. E era Dezembro que floria.
Era um vulcão. E no teu corpo a flor e a lava.
E era na lava a rosa e a palavra.
Todo o tempo num só tempo: nascimento de poesia.

Manuel Alegre

Recomeça…
Se puderes,
Sem angústia e sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro,
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,
Vai colhendo
Ilusões sucessivas no pomar
E vendo
Acordado,
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças.

Miguel Torga, Diário XIII

 

Bom Carnaval COM Leituras divertidas! ;)

“A vida é uma tremenda bebedeira.
Eu nunca tiro dela outra impressão.
Passo nas ruas, tenho a sensação
De um carnaval cheio de cor e poeira…

A cada hora tenho a dolorosa
Sensação, agradável todavia,
De ir aos encontrões atrás da alegria
Duma plebe farsante e copiosa…

Cada momento é um carnaval imenso,
Em que ando misturado sem querer.
Se penso nisso maça-me viver
E eu, que amo a intensidade, acho isto intenso

De mais… Balbúrdia que entra pela cabeça
Dentro a quem quer parar um só momento
Em ver onde é que tem o pensamento
Antes que o ser e a lucidez lhe esqueça…

Automóveis, veículos,
As ruas cheias,
Fitas de cinema correndo sempre
E nunca tendo um sentido preciso.

Julgo-me bêbado, sinto-me confuso,
Cambaleio nas minhas sensações,
Sinto uma súbita falta de corrimões
No pleno dia da cidade…

Uma pândega esta existência toda…
Que embrulhada se mete por mim dentro
E sempre em mim desloca o crente centro
Do meu psiquismo, que anda sempre à roda…

E contudo eu estou como ninguém
De amoroso acordo com isto tudo…
Não encontro em mim, quando me estudo,
Diferença entre mim e isto que tem

Esta balbúrdia de carnaval tolo,
Esta mistura de europeu e zulu
Este batuque tremendo e chulo
E elegantemente em desconsolo…”

ÁLVARO DE CAMPOS

Cia das Letras. 2002.

Pg. 69.

 

Para que NUNCA nos esqueçamos!

“It would be a dangerous error to think of the Holocaust as simply the result of the insanity of a group of criminal Nazis. On the contrary, the Holocaust was the culmination of millennia of hatred, scapegoating and discrimination targeting the Jews, what we now call anti-Semitism”.

UN Secretary-General António Guterres

Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

O Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto celebra-se anualmente a 27 janeiro.

Este é um dia de lembrança em nome dos milhões de vítimas provocadas pelo genocídio da Alemanha nazi sobre os judeus, ciganos, homossexuais, entre outros, ocorrido durante a II Guerra Mundial. Nele decorrem cerimónias de homenagem a pessoas falecidas no Holocausto e o Secretário Geral da ONU transmite uma mensagem especial, entre outras iniciativas.

A data de 27 de janeiro foi escolhida para a celebração deste dia por possuir um significado especial: foi a 27 de janeiro de 1945 que teve lugar a libertação do principal campo de concentração nazi (Auschwitz) pelas tropas da União Soviética.

O dia mundial da memória do Holocausto foi criado por ação da Assembleia Geral das Nações Unidas, pela Resolução 60/7, de 1 de dezembro de 2005.

 


 Livros 

  • Diário de Anne Frank – Anne FRANK
  • O Rapaz do pijama às riscas John BOYNE
  • A ilha na rua dos pássaros Uri ORLEV
  • O diário de Rutka – Rutka LASKIER
  • A Rapariga que Roubava Livros – Markus ZUSAK
  • O mundo em que vivi – Ilse LOSA
  • Se Isto é um Homem – Primo LEVI
  • Corre, rapaz, corre Uri ORLEV
  • Lídia, a rainha da palestina – Uri ORLEV
  • Clara a menina que sobreviveu ao Holocausto – Clara KRAMER
  • Noite – Ellie WIESEL
  • Sou o último judeu – Chil RAJCHMAN
  • O Consul Honorário –Sónia Louro
  • O leitor – Bernard Schlink

Filmes

  • O pianista
  • O leitor
  • O rapaz do pijama às riscas
  • O diário de Anne Franck
  • A vida é bela
  • A lista de Schindler

          


Para mais informações:

Mensagem do Secretário-Geral da ONU (Video): http://vimeo.com/85053314

Sobre o Dia Internacional: http://www.un.org/en/holocaustremembrance/

Sobre o Genocídio:http://unric.org/html/english/library/backgrounders/genocide_eng.pdf

Sobre Racismo:http://unric.org/html/english/library/backgrounders/racism_eng.pdf

Sobre o Programa do Holocausto e Divulgação: http://www.un.org/en/holocaustremembrance/bg.shtml

Visita de Ban Ki-moon a Auschwitz:http://unric.org/en/latest-un-buzz/28854-haunting-silence-at-former-nazi-death-camp