Doces e alegres leituras!

Anúncios

Feira do Livro na BE de Arnoso

Decorreu de 9 a 11 de dezembro a Feira do Livro da BE de Arnoso. Nesta feira tentamos levar aos utilizadores um bocadinho de tudo. Foram expostos livros de matemática diferentes dos habituais, kits de ciência com as devidas instruções, livros que falam de arte para os mais novos, livros de poesia que nos embalam, livros de fábulas com bonitas ilustrações, livros divertidos, livros que nos deixam a pensar em coisas simples, livros que desafiam os mais jovens a se encantarem com romances amorosos ou policiais, livros que nos falam de pessoas com interessantes histórias de vida, livros que pedem para serem escritos… enfim livros que esperam ser conhecidos e fazer bons amigos.

 

 

Para refletir!

Nativity Christian Christmas SceneNATAL DE QUEM?

Mulheres atarefadas

Tratam do bacalhau,

Do perú, das rabanadas.

— Não esqueças o colorau,

O azeite e o bolo-rei!

– Está bem, eu sei!

– E as garrafas de vinho?

– Já vão a caminho!

– Oh mãe, estou pr’a ver 

Que prendas vou ter.

Que prendas terei?

– Não sei, não sei…

Num qualquer lado,

Esquecido, abandonado,

O Deus-Menino

Murmura baixinho:

– Então e Eu,

Toda a gente Me esqueceu?

Senta-se a família

À volta da mesa.

Não há sinal da cruz,

Nem oração ou reza.

Tilintam copos e talheres.

Crianças, homens e mulheres

Em eufórico ambiente.

Lá fora tão frio, 

Cá dentro tão quente!

Algures esquecido,

Ouve-se Jesus dorido:

– Então e Eu, 

Toda a gente Me esqueceu?

Rasgam-se embrulhos,

Admiram-se as prendas,

Aumentam os barulhos

Com mais oferendas.

Amontoam-se sacos e papeis

Sem regras nem leis.

E Cristo Menino

A fazer beicinho:

– Então e Eu,

Toda a gente Me esqueceu?

O sono está a chegar.

Tantos restos por mesa e chão!

Cada um vai transportar

Bem-estar no coração.

A noite vai terminar

E o Menino, quase a chorar:

– Então e Eu,

Toda a gente Me esqueceu?

Foi a festa do Meu Natal

E, do princípio ao fim,

Quem se lembrou de Mim?

Não tive teto nem afeto!

Em tudo, tudo, eu medito

E pergunto no fechar da luz:

– Foi este o Natal de Jesus?!!!

(João Coelho dos Santos
in Lágrima do Mar – 1996)
O meu mais belo poema de Natal