Doces e alegres leituras!


NATAL Acontecia. No vento. Na chuva. Acontecia. Era gente a correr pela música acima. Uma onda uma festa. Palavras a saltar. Eram carpas ou mãos. Um soluço uma rima. Guitarras guitarras. Ou talvez mar. E acontecia. No vento. Na chuva. Acontecia. Na tua boca. No teu rosto. No teu corpo acontecia. No teu ritmo nosContinue a ler “Doces e alegres leituras!”

Feira do Livro na BE de Arnoso


Decorreu de 9 a 11 de dezembro a Feira do Livro da BE de Arnoso. Nesta feira tentamos levar aos utilizadores um bocadinho de tudo. Foram expostos livros de matemática diferentes dos habituais, kits de ciência com as devidas instruções, livros que falam de arte para os mais novos, livros de poesia que nos embalam,Continue a ler “Feira do Livro na BE de Arnoso”

Sarau TEL (com cheiro a Natal)!


Oficina de Poesia: PALAVRAS VERDES Está encerrada a votação nos dezoito poemas colocados de forma aleatória, selecionados da produção poética resultante da Oficina de Poesia PALAVRAS VERDES, realizada, no ano letivo anterior, nas aulas de português pelas turmas do 5.º ano, tendo o 5.º E articulado com a professora de Ciências Naturais. Esta atividade está englobadaContinue a ler “Sarau TEL (com cheiro a Natal)!”

Porque é quase NATAL!


Entremos, apressados, friorentos, numa gruta, no bojo de um navio, num presépio, num prédio, num presídio, no prédio que amanhã for demolido… Entremos, inseguros, mas entremos. Entremos, e depressa, em qualquer sitio, porque esta noite chama-se Dezembro, porque sofremos, porque temos frio. Entremos, dois a dois : somos duzentos, duzentos mil, doze milhões de nada.Continue a ler “Porque é quase NATAL!”