Ouvir falar os livros: “A História de Pedrito Coelho”, “Fala Bicho”, “Robertices” e o “O Príncipe Feliz”

A atividade “Ouvir falar os livros” envolveu as turmas de 1.º ciclo das Escolas Básicas de Louro-Mouquim, Quintão, Requião, Telhado e Vale do Este. No 1.º ano a obra escolhida foi “A história do Pedrito Coelho” de Beatrix Potter. Foi dado a conhecer a biografia da autora e lida a história. No fim foi proposto um pequeno trabalho onde as crianças teriam de decorar um coelho com materiais diversos. Todas as crianças gostaram muito da história adquiriram novos vocábulos e seus significados. Aprenderam também uma lição desta história tão bonita.

Para o 2.º ano foram retirados dois poemas do livro “Fala Bicho” cuja autora é Violeta Figueiredo: “O crocodilo” e “O sol poente fala ao lagarto”. Após uma breve apresentação da mesma, e antes dos poemas serem lidos, foi proposto um desafio: o que era comum nos dois poemas? As crianças ouviram os textos e responderam a perguntas e ao desafio proposto. Foi uma atividade interessante e do agrado delas, pois tentaram até memorizar o poema do crocodilo. No fim levaram um sol para decorarem como quisessem.

Para os alunos de 3.º ano, a equipa da biblioteca elaborou uns fantoches com colheres de pau e propôs trabalhar a peça de teatro “A Carochinha” do livro “Robertices”, de Luísa DaCosta, A atividade iniciou com uma breve explicação do que eram os Robertos e porque é que este este tipo de espetáculo era tão apreciado por adultos e crianças. De seguida foi pedido a alguns voluntários que dessem vida aos fantoches e apresentassem o teatro para o resto da turma. Esta iniciativa permitiu que algumas das turmas levassem a mesma peça a outras crianças durante a semana da leitura.

A obra selecionada para os 4.º anos foi “O Príncipe Feliz”, de Óscar Wilde”. Principiámos com uma breve apresentação da biografia do autor seguida da leitura em voz alta do conto. Terminada esta, foi proposta a visualização de uma animação musical em Inglês (ver aqui) que permitiu aos alunos terem contacto com formas menos comuns de trabalhar um texto, ao mesmo tempo que se tentou tornar mais familiar a audição de uma língua estrangeira – o inglês. Os alunos apreciaram a atividade e foram reconhecendo algum do vocabulário usado no vídeo de animação.

Anúncios

Ouvir falar os livros: “Aquela nuvem e outras”, “A Menina Gotinha de Água”, “O mercador de coisa nenhuma” e o “Rouxinol”

           

No âmbito da atividade “Ouvir falar os livros” a biblioteca escolar em articulação com os professores titulares de turma trabalharam alguns textos, que fazem parte da Educação Literária, com todos os alunos do 1.º ciclo das EB de Quintão, Requião, Telhado e de Vale do Este. Assim, com as turmas de 1.º ano foi trabalhado o poema “Frutos” da obra “Aquela Nuvem de Outras”, de Eugénio de Andrade. Apesar de ser um poema pequenino muito se falou dos frutos e das palavras que compõem o poema. No final foi proposto aos alunos a elaboração de um marcador de livros com o fruto preferido de cada um.

Com os alunos do 2.º ano foi trabalhada a obra “A Menina Gotinha de Água”, de Papiniano Carlos. Todos juntos embarcamos numa viagem que teve como ponto de partida e de chegada – o Mar. As crianças envolveram-se nesta aventura e levaram para casa uma pequena gotinha para que não se esqueçam desta divertida amiga. Com algumas das turmas, após a observação das cores do arco-íris presentes nas ilustrações, foi abordado de forma simples o espectro de Newton. Por fim, para consolidar a leitura, foi distribuído a cada aluno um guião de leitura.

Para os alunos do 3.º ciclo o texto selecionado foi “O Mercador de coisa nenhuma” de António Torrado. O texto foi lido em voz alta e foi feita a exploração de algum vocabulário e de uma cultura com hábitos um pouco diferentes dos nossos. Foi distribuída uma ficha de leitura e deixada como sugestão a exploração de alguns livros que nos remetessem para ambientes semelhantes.

Com os alunos de 4.º ano foi lido e trabalhado o texto “O Rouxinol” de Hans Christian Andersen. Iniciou-se com a apresentação biográfica do autor e do seu importante contributo para a literatura infantil, sem esquecer de referir que o Dia Internacional do Livro Infantil se assinala na data do seu nascimento. O texto foi lido e trabalhado oralmente. Enriqueceu-se esta atividade com a exploração de alguns livros de contos de fadas antigos e o visionamento dos mecanismos das caixas de música para melhor entender as diferenças entre os dois rouxinóis e o que havia sucedido ao “rouxinol” oferecido pelo imperador do Japão. Para trabalho individual ficou uma ficha de leitura e a sugestão de algumas obras do autor.

Ouvir falar o livro “A Flor vai ver o mar”

Terminou no passado dia 30 de maio a atividade “Ouvir falar os livros”, no âmbito da Educação Literária que esta Biblioteca levou a cabo. Esta atividade desenvolveu com o 1.º ano a obra “A Flor vai ver o mar” de Alves Redol.

Antes da narração da obra foi-lhes transmitido a biografia do autor, assim como, foi-lhes explicado o significado dos vocábulos desconhecidos. Para esta atividade recorreu-se ao livro digital e como proposta de trabalho foi-lhes sugerido uma ficha de trabalho.

Ouvir falar o livro “ O Gigante Egoísta”

O livro explorado e proposto no domínio da Educação Literária, para o 4.º ano, foi “O Gigante Egoísta” de Óscar Wilde. Os alunos ficaram a conhecer um pouco da biografia do autor e a maneira como vivia na época, assim como, a imagem de um pintarroxo, ave mencionada na história. Foi com grande atenção que ouviram a história e compreenderam a mesma. Acharam uma história triste mas bonita e acabaram por sentir tristeza pela morte do Gigante, que inicialmente lhes parecera mau e insensível. Após a exploração do conto ficaram com a sugestão de uma ficha de leitura. Estas atividades de leitura decorreram nas EB de Vale do Este, Cruz, e Louro nos dias 13, 20 e 30 de maio, respectivamente.

Ouvir falar o livro “A Arca do Tesouro”

A “Arca do Tesouro” de Alice Vieira foi a obra escolhida para trabalhar neste terceiro período pelo 3.º ano. Os alunos ficaram a saber e conhecer como surgiu esta obra magnífica. Foi-lhes explicado que esta surgiu porque a Orquestra Metropolitana de Lisboa comemorava dezoito anos e encomendou a Alice Vieira um pequeno conto para Eurico Carrapatoso musicar. Daí surgiu um texto sóbrio e sábio, que se insurge contra esta coisa dos “relógios mandarem em toda a gente” onde a “Maria” e a sua caixa azul assumem um papel fundamental. Ficaram também a conhecer a biografia da autora e algumas das suas obras.

Sentiu-se no final do conto que muitas das crianças largaram a “voz de inverno” que costumavam ter e pensaram em pessoas que trazem diariamente o inverno no coração. Verificou-se desta forma, que as crianças interiorizaram a mensagem da obra.

Ouvir falar o livro “O elefante cor-de-rosa”

A exploração da obra “O elefante cor-de-rosa” de Luísa Dacosta, foi realizada com as turmas de 2.º ano das EB de Requião, Cruz, Louro e Vale do Este, a 26 e 27 de Abril e a 2 e 13 de maio. Inicialmente os alunos foram convidados a observar com muita atenção o cenário e descobrirem o que existia de comum no mesmo. Facilmente concluíram que era a cor, ou seja, o cor-de-rosa. De seguida, foram questionados sobre o que os pais lhes costumavam dizer quando se deitavam. Este foi o mote para apresentar a obra. Antes de ouvirem a narração da história ficaram a conhecer um pouco da biografia da autora. As crianças concluíram através desta história de sonho e fantasia, os valores nela inerentes como a amizade, a solidariedade e a entreajuda.

Para finalizar foi-lhes proposto uma ficha de trabalho e uma imagem para colorirem com a “cor” dos sonhos das crianças.

Ouvir falar o livro “O Príncipe Feliz”

Os alunos do 4.ºD de Requião, no dia 12 de maio, à excepção de outras escolas explorou o conto “O Príncipe Feliz” também este de Óscar Wilde. Foi-lhes dado a conhecer a biografia do autor e o modo de pensar e viver da época. Ouviram o conto com muita atenção e notou-se que ficaram comovidos e sensibilizados com o amor da andorinha pelo príncipe. Foi-lhes também sugerido uma ficha de leitura, de forma a aplicarem aquilo que ouviram.