“Descodificar rótulos”

Realizou-se na biblioteca escolar da EB de Vale do Este, nos dias 20 e 24 de outubro, a ação de sensibilização “Descodificador de rótulos” com os alunos das turmas dos, 3.º, 4.º, 5.º e 6.º anos, promovida pelos Serviços Educativos de Vila Nova de Famalicão. A atividade, dirigida pela Dra Carla Sousa, teve como objetivo principal formar os nossos pequenos consumidores para a seleção de alguns alimentos que são consumidos habitualmente e que nem sempre são o que parecem ser. Optar por um ou outro produto, tendo como ponto de partida a leitura do seu rótulo, pode fazer toda a diferença para quem quer ter uma alimentação saudável.

Com o intuito de ajudar a definir, identificar e classificar alguns dos aditivos usados nos alimentos que consumimos (conservantes e corantes) enriquecemos este artigo com a ligação ao dossiê “Aditivos alimentares: só os seguros e indispensáveis”, da responsabilidade da DecoProteste.

Para saber se os aditivos apresentados nos rótulos dos produtos alimentares que consumimos são ou não inofensivos faça o teste. Use este simulador!!

descodificador-de-rotulos-7

Anúncios

“Os alimentos vão à escola”

No dia 7 de maio foram realizadas duas sessões sobre hábitos alimentares saudáveis, para os alunos do 1.º ciclo, na EB Vale do Este. Esta palestra foi dinamizada pelo professor responsável pelo Observatório da Atividade Física e Obesidade e contou com a nutricionista Catarina Moreira. Essencialmente foram dadas indicações importantes sobre os alimentos que devemos escolher, tendo por base a roda dos alimentos, para termos uma alimentação mais saudável. Os alunos foram elucidados sobre o que escolher para os lanches que se levam para a escola.

Sobre a alimentação saudável selecionamos um conjunto de livros para alunos da Pré, 1.º e 2.º ciclos sobre este tema (para ver aqui, e um vídeo. Bom apetite!!

Regressar com saúde :)!

Dia Mundial da Saúde 2015

food

“Segurança alimentar” é o tema do Dia Mundial da Saúde 2015, que se assinala a 7 de abril.


Todos os anos, a Organização Mundial da Saúde (OMS) seleciona uma área de saúde pública como tema para o Dia Mundial da Saúde, que se assinala a 7 de abril, dia de aniversário da Organização.

O tema para 2015 é “Segurança alimentar”, um tema de alta relevância e uma oportunidade para alertar governos e toda a cadeia de produção alimentar (agricultores, fabricantes, fornecedores e consumidores) para a importância do controlo de perigos e riscos microbiológicos, garantindo que os alimentos que chegam aos pratos da população são seguros.

A segurança alimentar é uma área da saúde pública que protege os consumidores contra os riscos de intoxicação alimentar e é uma responsabilidade partilhada.

Alimentos estragados podem levar a uma variedade de problemas de saúde: diarreias, doenças virais (os primeiros casos de Ébola foram ligados a carne contaminada), problemas de desenvolvimento, reprodutivos e cancros.

A Organização Mundial da Saúde ajuda os países a prevenir, detetar e responder a surtos de doenças transmitidas por alimentos com o Codex Alimentarius, uma coleção de padrões internacionais de alimentos, diretrizes e códigos de práticas, abrangendo todos os alimentos principais e processos.

Ver mais em: 
http://www.who.int/campaigns/world-health-day/2015/en/


É mais importante a saúde do que o dinheiro. Uma pessoa com saúde 
pode dormir na soleira de uma porta. E um ricalhaço doente pode não ter posição na cama.

Oliveira , Manoel

Notícias Magazine (DN) / 20040509

Hemo… quê? Concurso Escolar

IMG_5214IMG_5221hemo

No âmbito do Concurso Escolar Hemo …quê?, organizado pela Câmara Municipal de V. N. Famalicão foi realizada uma palestra na Biblioteca da Escola E.B. D. Maria II sobre Hemocromatose, proferida pela Drª Emerência Teixeira do IBMC. Durante a palestra, a oradora falou sobre esta doença, pouco conhecida da população alvo (9ºAno), revisitando sempre que oportuno conteúdos abordados na disciplina de Ciências Naturais. A hemacromatose primária (HP), apesar de rara em termos populacionais constituiu a doença hereditária mais frequente na população caucasiana. Foi explicado aos alunos que geralmente esta doença genética se apresenta de forma inespecífica, incluindo fadiga crónica, dores articulares, dor abdominal, distúrbios sexuais, pigmentação da pele (tom bronzeado mais predominante na face, dorso das mãos e cicatrizes) e perda de peso. Esta doença pode posteriormente evoluir para diabetes, cirrose hepática, problemas cardíacos, cancro no fígado podendo mesmo conduzir à morte. A doença é mais evidente e mais grave nos doentes do sexo masculino, a partir dos 40-50 anos de idade. Nas idades mais jovens deve suspeitar- se  se existir artrite de causa obscura, infertilidade ou sub-fertilidade.

Os alunos participaram ativamente sempre que solicitados pela palestrante e questionaram a Drª Emerência com perguntas oportunas.

A Professora de Ciências Naturais

Maria Manuel Azevedo