Concurso Nacional de Leitura – fase escolar

No passado dia 14 de novembro, 160 alunos do Agrupamento de Escolas D. Maria II participaram na 14.ª edição do Concurso Nacional de Leitura – fase escolar.
Os alunos inscritos leram uma obra previamente selecionada e no dia realizaram a prova de conhecimentos composta por duas partes, uma com questões de escolha múltipla e outra com uma questão de desenvolvimento. O 1.º ciclo leu o conto “O Segredo do Rio” de Miguel Sousa Tavares, o 2.º ciclo leu “Ulisses” de Maria Alberta Menéres, o 3.º ciclo leu “O Conto da Ilha Desconhecida” de José Saramago.
Os alunos da Escola Sede tiveram a oportunidade de realizar a primeira parte da prova de conhecimentos utilizando o programa Socrative e recorrendo a diferentes suportes tecnológicos, nomeadamente computadores, tablets e smartphones.
Os alunos do 2.º e 3.º ciclos da Escola Básica de Vale do Este e da Escola Básica D. Maria realizaram a prova de conhecimentos nas respetivas bibliotecas, assim como as escolas do 1.º ciclo com biblioteca escolar. Os alunos das restantes escolas realizaram-na em espaços adequados.
Desta fase serão apurados dois alunos por ciclo para a fase municipal.
Todos os participantes foram contemplados com o respetivo certificado de participação e com uma história da coleção Formiguinha.

 

Lá diz o povo e…com razão…(I)

 

Em novembro…

“Trinta dias tem novembro, abril, junho e setembro; de vinte e oito, só há um, e os mais têm trinta e um.”

“Outubro lavrar, novembro semear, dezembro nascer.”

“Cava fundo em novembro, para plantares em Janeiro.”

“Dia de São Martinho, fura o teu pipinho.”

“Dia de São Martinho, lume, castanhas e vinho.”

“Do São Martinho ao Natal, o médico e o boticário enchem o bornal.”

“Se o Inverno não erra caminho, tê-lo-ei pelo São Martinho.”

“Se queres pasmar teu vizinho, lavra, sacha e esterca pelo São Martinho.”

“No dia de São Martinho, vai à adega e prova o vinho.”

“Pelo São Martinho, abatoca o teu vinho.”

“Pelo São Martinho, mata o teu porquinho e semeia o teu cebolinho.”

“Pelo São Martinho, nem favas, nem vinho.”

“Pelo São Martinho, todo o mosto é bom vinho.”

“Por São Martinho, nem favas, nem vinho.”

“Dos Santos ao Natal, Inverno natural.”

“De Santa Catarina ao Natal, mês igual.”

“De Todos os Santos ao Advento, nem muita chuva nem muito vento.”

“De Todos os Santos ao Natal, bom é chover e melhor nevar.”

Dia Mundial da Poesia

O Dia Mundial da Poesia celebra-se todos os anos em 21 de março.

A data foi criada na 30ª Conferência Geral da UNESCO em 16 de novembro de 1999.

O Dia Mundial da Poesia comemora a diversidade do diálogo, a livre criação de ideias através das palavras, da criatividade e da inovação. A data visa a importância da reflexão sobre o poder da linguagem e do desenvolvimento das habilidades criativas de cada pessoa. Isso porque a poesia contribui para a diversidade criativa, inferindo na nossa perceção e compreensão do mundo.

Poesia em Portugal

A história portuguesa apresenta muitos poetas cuja obra literária é mundialmente conhecida. Luís de Camões, Fernando Pessoa, António Nobre, Florbela Espanca, José Régio, Natália Correia, Eugénio de Andrade, Cesário Verde, Miguel Torga, Sophia de Mello Breyner Andersen, são alguns dos poetas portugueses mais conhecidos.

Sugestões de atividades

Neste dia realizam-se várias atividades pelo país, sobretudo nas escolas, bibliotecas e espaços culturais. Algumas atividades que se destacam são:

  • escrever um poema sobre o que sente
  • escrever poemas com os amigos
  • declamar poesias
  • reler os poetas e os poemas preferidos
  • colocar poemas em música
  • assistir a encontros de poetas
  • assistir a filmes sobre poetas
  • dizer às pessoas o que sente por elas
  • fazer de cada gesto um poema

Note que no dia 21 de março celebra-se também o Dia Mundial da Árvore. Dessa maneira, outra atividade interessante é a construção de uma árvore com folhas de poemas ou mesmo escrever uma poesia sobre uma árvore.

 

Fonte: https://www.calendarr.com/portugal/dia-mundial-da-poesia/

Doces e alegres leituras!



NATAL

Acontecia. No vento. Na chuva. Acontecia.
Era gente a correr pela música acima.
Uma onda uma festa. Palavras a saltar.

Eram carpas ou mãos. Um soluço uma rima.
Guitarras guitarras. Ou talvez mar.
E acontecia. No vento. Na chuva. Acontecia.

Na tua boca. No teu rosto. No teu corpo acontecia.
No teu ritmo nos teus ritos.
No teu sono nos teus gestos. (Liturgia liturgia).
Nos teus gritos. Nos teus olhos quase aflitos.
E nos silêncios infinitos. Na tua noite e no teu dia.
No teu sol acontecia.

Era um sopro. Era um salmo. (Nostalgia nostalgia).
Todo o tempo num só tempo: andamento
de poesia. Era um susto. Ou sobressalto. E acontecia.
Na cidade lavada pela chuva. Em cada curva
acontecia. E em cada acaso. Como um pouco de água turva
na cidade agitada pelo vento.

Natal Natal (diziam). E acontecia.
Como se fosse na palavra a rosa brava
acontecia. E era Dezembro que floria.
Era um vulcão. E no teu corpo a flor e a lava.
E era na lava a rosa e a palavra.
Todo o tempo num só tempo: nascimento de poesia.

Manuel Alegre

“A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo.”

Nelson Mandela

África do Sul

18 Jul 1918 // 5 Dez 2013
Estadista, Nobel da Paz

“Negar ao povo os seus direitos humanos é pôr em causa a sua humanidade. Impor-lhes uma vida miserável de fome e privação é desumanizá-lo.”

“Ser pela liberdade não é apenas tirar as correntes de alguém, mas viver de forma que respeite e melhore a liberdade dos outros.”

“Ninguém nasce a odiar outra pessoa devido à cor da sua pele, ao seu passado ou religião. As pessoas aprendem a odiar, e, se o podem fazer, também podem ser ensinadas a amar, porque o amor é mais natural no coração humano do que o seu oposto.”

“Eu aprendi que a coragem não é a ausência de medo, mas o triunfo sobre ele. O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas aquele que conquista por cima do medo.”

“Não existe nenhum passeio fácil para a liberdade em lado nenhum, e muitos de nós teremos que atravessar o vale da sombra da morte vezes sem conta até que consigamos atingir o cume da montanha dos nossos desejos.”

“Se falares a um homem numa linguagem que ele compreenda, a tua mensagem entra na sua cabeça. Se lhe falares na sua própria linguagem, a tua mensagem entra-lhe directamente no coração.”

“A prioridade é sermos honestos connosco. Nunca poderemos ter um impacto na sociedade se não nos mudarmos primeiro. Os grandes pacificadores são todos gente de grande integridade e honestidade mas, também, de humildade.”

“À medida que nos libertamos do nosso próprio medo a nossa presença liberta automaticamente outros.”

“Depois de termos conseguido subir a uma grande montanha, só descobrimos que existem ainda mais grandes montanhas para subir.”

“A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo.”

“A maior ameaça à democracia, à justiça socioeconómica e ao crescimento económico neste país é o controlo monopolista de algumas empresas sobre a economia.”

“Tudo parece impossível até que seja feito.”

Ver mais em http://www.citador.pt/frases/citacoes/a/nelson-mandela/10

https://www.publico.pt/mundo/interactivo/quiz-que-sabe-sobre-declaracao-universal-direitos-humanos?fbclid=IwAR0l8k9wl2NUgjRUSJgeRVG6B9i1ATQdlAvuJln4hZkKU3yUcTw_TEImxlI

https://www.amnistia.pt/declaracao-universal-dos-direitos-humanos/?fbclid=IwAR1Ii8iiJcVMnh_HH4cWakCRcYaGsiDUyhbZvPnQvJUC3t0k0ZFrEzE32e4

http://rbe.mec.pt/np4/2201.html  

(…)

Dia Mundial da Bondade| Aqui a BONDADE IMPORTA!

O Dia Mundial da Bondade assinala-se todos os anos a 13 de novembro.

O que o Dia Mundial da Bondade (World Kindness Day) quer reavivar no mundo é o sentido de bondade das pessoas. Um simples obrigado, um belo sorriso ou um gesto carinhoso são pequenas ações que podem fazer toda a diferença.

Neste dia apela-se à paz nas pessoas, colocando-se de lado por 24 horas as diferenças religiosas, fronteiriças e de raça. Com o celebrar da bondade durante um dia, espera-se que se plantem as raízes para se verificar a bondade durante o resto do ano.

Origem do dia

Foi em 1998 que teve lugar em Tóquio a primeira conferência do Movimento Mundial pela Bondade (World Kindness Movement). O objetivo era “criar um mundo mais bondoso e pleno de compaixão”. Atualmente, o Dia Mundial da Bondade celebra-se em vários países do mundo, tais como o Canadá, a Austrália, o Japão, a Nigéria e os Emirados Árabes Unidos. Em certos países oferecem-se flores neste dia, quer a conhecidos, quer a desconhecidos.

Ver mais em https://www.calendarr.com/portugal/dia-mundial-da-bondade/ 

Partilhamos a nossa sincera e humilde participação no desafio proposto pelo Lions Clube de Vila Nova de Famalicão!

http://e-clubhouse.org/sites/vilanovaf/index.php

A Bondade importa mais do que nunca! Vale a pena pensar nisto!!!

Click to play this Smilebox slideshow
Muito OBRIGADA aos alunos que se importaram com a BONDADE!

A Revolução da Bondade

Acho que a grande revolução, e o livro «Ensaio sobre a Cegueira» fala disso, seria a revolução da bondade. Se nós, de um dia para o outro, nos descobríssemos bons, os problemas do mundo estariam resolvidos. Claro que isso nem é uma utopia, é um disparate. Mas a consciência de que isso não acontecerá, não nos deve impedir, cada um consigo mesmo, de fazer tudo o que pode para reger-se por princípios éticos. Pelo menos a sua passagem pelo este mundo não terá sido inútil e, mesmo que não seja extremamente útil, não terá sido perniciosa. Quando nós olhamos para o estado em que o mundo se encontra, damo-nos conta de que há milhares e milhares de seres humanos que fizeram da sua vida uma sistemática acção perniciosa contra o resto da humanidade. Nem é preciso dar-lhes nomes.

José Saramago, in ” Folha de S. Paulo, Outubro 1995″

Preparar o futuro! 7 novembro|10h00| Biblioteca D. Maria II


 Vamos pensar o futuro com a nossa CONVIDADA!

Maria Luísa Melo e Alvim Oliveira Dias de Almeida. Concluiu Ciências da Informação e Documentação pela Universidade de Évora em 2016. É da Universidade de Évora. Publicou 9 trabalhos em actas de eventos. Participou em 5 eventos no estrangeiro e 7 em Portugal. Actua na área de Ciências Sociais com ênfase em Ciências da Informação. Nas suas actividades profissionais interagiu com 5 colaboradores em coautoria de trabalhos científicos. No seu curriculum DeGóis os termos mais frequentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: Bibliotecas públicas portuguesas, Facebook, Modelo de análise, Biblioteca 2.0, Bibliotecas Académicas portuguesas, Bibliotecas públicas, Blogues, Comunicação, Método de análise e Missão social da biblioteca pública.

Ver mais em http://www.degois.pt/visualizador/curriculum.jsp?key=5424352013495757